Cooperativismo Financeiro foi tema de palestra na Codem

Cooperativismo Financeiro foi tema de palestra na Codem

Imagine um grupo de pessoas construindo juntas um mundo com mais cooperação, pertencimento, responsabilidade social e justiça financeira? Imagine também este mesmo grupo desenvolvendo ações cooperadas de solidariedade financeira com financiamento para compra de bens duráveis, viagens de passeios, créditos para aquisição de máquinas, financiamento diversos e etc? Esses são valores que movem atualmente o sistema de cooperativas financeiras no país. Hoje, existem centenas de cooperativas financeiras com atuação em todos os estados brasileiros com o propósito de conectar pessoas para promover justiça financeira e prosperidade entre pessoas e contribuir para o desenvolvimento dos cooperados e comunidade. Foi com este objetivo que na manhã desta sexta-feira, 19, a Associação dos Empregados da Codem recebeu representantes do SICOOB/COOESA para explicar a importância do cooperativismo aos servidores (as) da empresa, no auditório da Companhia.

A palestrante Jamile Silva, falou sobre educação financeira e fez uma reflexão profunda de se estabelecer a justiça financeira e mostrar que o cooperativismo é uma alternativa financeira viável em comparação às instituições bancárias existentes no mercado. “No cooperativismo buscamos a solidariedade financeira formando e desenvolvimento pessoas, através das relações pessoas, administrando seus recursos de forma vantajosas para todos e não visando o lucro individual”, disse.

Significado

De acordo com o dicionário Michaelis, o cooperativismo é o “sistema econômico e social em que a cooperação é a base sobre que se constroem todas as atividades econômicas (industriais, comerciais etc.). O cooperativismo consiste na primazia da pessoa humana, na economia e na cooperação de todos para a consecução do bem comum”.

Ele foi adotado como modelo de negócios e vem transformando a realidade de milhares de brasileiros. Em 2020, segundo a OCB, Organização das Cooperativas Brasileiras, havia 4.800 cooperativas no Brasil realizando mudanças e evoluindo a sociedade. O levantamento aponta mais de 17 milhões de cooperados e 455 mil postos de trabalhos gerados.

Os princípios cooperativistas abrangem adesão voluntária e livre às cooperativas, a gestão democrática, a participação econômica dos membros, a autonomia e independência, a educação, formação e informação, a intercooperação e o interesse pela comunidade.

Cooperativismo financeiro

O cooperativismo financeiro surgiu como um modelo para enfrentar momentos de crises. Uma gestão democrática, marca do modelo de negócio, e a constante adaptação de processos internos contribuem para o crescimento e o desenvolvimento da economia brasileira.

Mais do que oferecer soluções financeiras completas e taxas mais justas, o cooperativismo financeiro permite participar de decisões e dos resultados das cooperativas. Isso contribui para o desenvolvimento de uma comunidade, que passa a contar com mais poder de decisão e recursos financeiros em circulação.

Segundo dados do estudo “Benefícios Econômicos do Cooperativismo de Crédito na Economia Brasileira”, de 2018, o cooperativismo gerou um impacto positivo nas cidades brasileiras de mais de R$ 48 bilhões em um ano. As cooperativas de crédito foram responsáveis pela criação de 79 mil novas empresas e a geração de 278 mil empregos.

Com informações do G1 e Site Sicoob.